Por que a autogestão é essencial para quem trabalha com tecnologia?

7 minutos para ler

Se a sua equipe de tecnologia fica sem rumo na ausência do líder da área, é sinal de que está faltando autonomia para os seus colaboradores. Nos últimos anos, o ambiente de trabalho verticalizado vem dando lugar a um formato autônomo e que requer responsabilidade individual — cenário que evidencia a relevância da autogestão profissional.

A partir do desenvolvimento da capacidade de gerenciarem a si mesmos, os membros do seu time assumem um papel mais participativo nos processos da empresa, já que contam com mais flexibilidade e liberdade para tomarem decisões e impactarem o negócio positivamente.

Neste post, vamos mostrar tudo o que você precisa saber sobre autogestão e como aplicá-la na prática. Confira!

O que é autogestão?

De modo simples, a autogestão é definida como um modelo de administração alicerçado na divisão igualitária da gestão de uma atividade ou projeto. Com isso, os colaboradores são estimulados a desenvolver um papel muito mais participativo e, consequentemente, decisivo em relação aos resultados da empresa.

Nesse modelo de gestão, a divisão e a delegação de tarefas se dão de forma democrática, levando em consideração a escolha coletiva. Porém, vale ressaltar que isso não implica a exclusão da figura do líder, já que ele continua com a responsabilidade de zelar pela organização geral, como formar times, encaminhar demandas e determinar prazos.

Contudo, a liderança não precisa mais voltar o seu foco para cobrança da produtividade, por exemplo, pois cada pessoa entende a importância do seu trabalho, toma a iniciativa diante dos processos e age de maneira autônoma. Para que funcione adequadamente, o profissional deve se pautar em três princípios: planejamento, execução e controle.

A partir do momento em que o colaborador é capaz de planejar, executar e controlar determinada tarefa, está praticando a autogestão. O conceito se baseia na combinação de autonomia com a entrega de resultados de alta performance e dentro do prazo.

Como a autogestão impacta o profissional da área de tecnologia?

A adoção da autogestão no ambiente de trabalho só tem a acrescentar na carreira do profissional de tecnologia, visto que aperfeiçoa as suas habilidades, além de abrir porta para novas oportunidades que beneficiam não só o colaborador, mas a organização como um todo. Veja como isso acontece na prática.

Traz autonomia

Não é novidade para ninguém que o mercado tecnológico sofre mudanças frequentes num piscar de olhos. E acompanhar as novas tendências voltadas para TI é imprescindível para continuar oferecendo produtos e serviços diferenciados aos seus clientes e, assim, manter o negócio competitivo.

Com uma equipe apática e que só trabalha de acordo com os comandos do seu líder, a empresa enfrenta dificuldades para acompanhar as inovações da sua área. Nesse sentido, a autogestão é uma poderosa aliada, pois gera autonomia entre os colaboradores — cada profissional sabe das suas responsabilidades, tem segurança para tomar decisões e age orientado por resultados.

Ajuda a desenvolver o espírito de liderança

Uma das premissas da autogestão é a distribuição de tarefas que caberiam apenas à posição de liderança entre todos os profissionais da equipe. Essa condição contribui para que os colaboradores assumam o controle dos processos e desenvolvam o espírito de liderança, que é uma característica cada vez mais valorizada nas empresas.

Os funcionários também se sentem mais valorizados, tendo o seu desempenho reconhecido. O resultado disso é um time engajado, que abraça os objetivos da organização e se dedica a todas as atividades com a mesma força de vontade.

Melhora a comunicação interna

Ruídos de comunicação estão entre os principais males relatados no ambiente de trabalho, pois a transmissão incorreta de informações leva a erros e retrabalhos que prejudicam a produtividade da equipe.

Quando todos os colaboradores se tornam responsáveis por administrar as atividades da área, eles passam a entender a importância de uma comunicação efetiva. Para tanto, se tornam mais cuidadosos na hora de se comunicar, já que a troca de informações é essencial para a conquista de objetivos mútuos.

Reforça a capacidade de adaptação

A capacidade de se adaptar é uma demanda constante na área de tecnologia. Afinal, o setor lida diariamente com a apresentação de novas ferramentas, sistemas e metodologias que alteram a condução e os resultados das suas atividades.

Na corrida pelo sucesso, as empresas que não se adaptam em alta velocidade são facilmente ultrapassadas pela concorrência. Por meio da autogestão, os processos são otimizados, permitindo que a equipe responda às mudanças em menor tempo.

Estimula a criatividade

Num ambiente em que as decisões são centralizadas, elas obedecem a um padrão que deixa pouco espaço para que os colaboradores desenvolvam soluções criativas. Assim, as tarefas são executadas de modo sempre engessado e limitado.

Por sua vez, quando o profissional assume a responsabilidade pela resolução de problemas, a criatividade é a sua melhor amiga. O autogerenciamento traz flexibilidade e liberdade para tentar novos caminhos e resultados, o que não é viável em uma estrutura demasiadamente rígida.

O que é preciso para desenvolver e aplicar a autogestão?

O trabalho em TI exige proatividade e independência, mas dentro de uma empresa é necessário atuar em sinergia com os demais membros da equipe e de forma sistêmica, a fim de atingir as metas estabelecidas. Entenda como aderir à autogestão no seu dia a dia.

Planeje sua rotina

O dia de quem trabalha com tecnologia costuma ser agitado e corrido. Para dar conta de todas as suas atividades, o primeiro passo é planejar a sua rotina, determinando o horário de cada tarefa. Essa organização agrega agilidade para a execução dos projetos, já que você saberá tudo o que precisa ser feito e por onde deve começar.

Gerencie seu tempo

É comum que surjam várias tarefas ao longo do dia e se acumulem com aquelas que estão em execução. Gerenciar o tempo destinado a cada demanda é indispensável para não comprometer o fluxo de trabalho, o que tem que ser feito por ordem de prioridade e prazo de vencimento.

Evite procrastinar

Ao saber que o chefe não estará em cima cobrando a finalização das atividades o tempo todo, o colaborador pode cair na tentação de procrastinar. Sempre que o cansaço aparecer e impedir o avanço no trabalho, o ideal é reservar alguns minutos para descansar e recarregar as energias e concluir o expediente com a mesma empolgação do início do dia.

Como vimos, a implementação da autogestão é excelente para a empresa e para os colaboradores. A primeira parte precisa criar um ambiente que incentive o autogerenciamento, enquanto a segunda tem a missão de desenvolver o senso de responsabilidade. Somente assim será possível contar com equipes formadas por profissionais altamente capazes de conduzir projetos e entregar resultados satisfatórios.

E aí, achou este post interessante? Siga o nosso perfil no LinkedIn agora mesmo e fique por dentro das novidades sobre o universo da tecnologia!

Compartilhe !

Posts relacionados

Deixe um comentário