O que são testes automatizados e como usá-los na empresa?

7 minutos para ler

Os sistemas desenvolvidos pela TI estão cada vez mais complexos e robustos, além de contarem com prazos de entrega curtos. Na prática, isso significa que as empresas precisam produzir mais e com maior qualidade, é exatamente aí que entram os testes automatizados, uma vez que ajudam a validar as funcionalidades de um software em menor tempo e com o máximo de eficiência.

Muito utilizados no passado, os testes manuais não atendem mais às demandas das empresas e ainda deixam a sua equipe suscetível a erros. Basta que uma imperfeição passe despercebida para que a entrega final seja comprometida, gerando retrabalhos que bombardeiam a sua produtividade e resultados.

Se a ideia é parar de perder tempo com imprevistos e garantir entregas de sucesso, você não pode perder este post, pois nele vamos ensinar tudo o que um profissional de tecnologia precisa saber sobre testes automatizados. Confira!

O que são testes automatizados?

De maneira simples, os testes automatizados são definidos como programas que realizam testes em softwares que estão em construção de modo padronizado, sem que seja necessária a intervenção humana. Isso porque eles contam com funcionalidades que são capazes de testar automaticamente todos os aspectos de uma plataforma, a fim de garantir um desempenho adequado.

O procedimento traz muito mais precisão e agilidade para a etapa de testes, o que permite que você tenha facilidade para encontrar falhas de segurança, bugs e demais problemas que venham a prejudicar o uso da aplicação conforme projetado inicialmente.

Como funcionam?

Antes de qualquer coisa, é preciso desenvolver um conjunto de estratégias que determinam quais funções do programa ou aplicativo precisam ser testados. A partir daí, o software escolhido para a missão vai testar todas as funcionalidades definidas, dentro de cenários específicos, quantas vezes forem necessárias.

A cada repetição e simulação, é possível entender como o sistema se comporta em diferentes situações e, assim, identificar novos erros. Geralmente, os testes são feitos de três formas, são elas:

  • testes unitários — são testes aplicados em uma parte específica do programa para avaliar a sua eficiência, simulando as dependências de cada unidade da plataforma;
  • testes de integração — são testes que analisam duas unidades ou mais em funcionamento dentro do sistema para verificar como trabalham em conjunto;
  • testes de aceitação — são testes que avaliam o software como um todo e garantem a performance de todas as funcionalidades.

Como aplicar os testes automatizados na prática?

Para colocar o teste em prática é necessário seguir algumas etapas que asseguram o seu funcionamento. A primeira coisa a se fazer é criar um plano de automação, que nada mais é do que um documento que contém os objetivos, definições dos primeiros testes automatizados e quais serão os métodos padrões aplicados.

Feito isso, é o momento de escolher quais ações vão ser automatizadas. Aqui, o mais apropriado é dividir os testes grandes e considerados mais complexos em processos menores e que se tornem mais simples por meio do teste focado somente em um único objetivo.

Após criar testes menores e simplificados, você deve agrupá-los por funções. Com isso, criam espécies de árvores de automações de testes, permitindo que a sua equipe os coloques para rodar a partir de uma ordem específica, estratégica e organizada. 

Os tipos de testes aplicados vão variar de acordo com os seus objetivos. Se você quer avaliar apenas uma funcionalidade, aplica-se o teste unitário. Para checar o desempenho das ações em conjunto, é utilizado o teste de integração. E, por último, para verificar o funcionamento da plataforma em sua totalidade, coloca-se em prática o teste de aceitação.

Por que vale a pena utilizá-lo?

A realização de testes automatizados já se tornou algo comum nas empresas. Afinal, a ferramenta permite repetir esforços contínuos inúmeras vezes até que se atinja a excelência da plataforma em desenvolvimento. Entenda um pouco mais sobre os benefícios desse modelo de teste.

Aumenta a eficiência do processo de testagem

Quando feitos manualmente, os testes acabam tomando uma grande parte de tempo do ciclo que envolve o desenvolvimento de um software. Nesse contexto, as entregas dos projetos demoram mais, além de correr o risco de apresentarem erros que interferem no seu funcionamento. 

Por sua vez, os testes automatizados são realizados em um tempo bem menor e conseguem detectar uma quantidade muito maior de erros, o que faz com que aumentem a eficiência da testagem e do produto final.

Amplia a segurança dos dados

Qualquer bug em um software serve de brecha para invasões que podem causar danos irreparáveis para as organizações. O processo de automação realiza verificações constantes, eliminando a existência de brechas de segurança, bem como de invasões e demais ataques cibernéticos.

Reduz custos com TI

Ao optar pela ferramenta de testes em nuvem, não é preciso efetuar instalações ou atualizações, tendo em vista que a estrutura do programa é pré-projetada. Sabe o que isso significa? Mais economia de tempo quanto à configuração da plataforma e economia de dinheiro, pois as ferramentas de testes podem ser integradas em um único local, sem exigir gastos adicionais.

Possibilita feedbacks rápidos

Devido ao fato de ser mais rápido, o recurso possibilita à equipe de TI obter um retorno mais rápido do cliente e usuário final. Assim, eventuais bugs que sejam detectados posteriormente poderão ser revisados e consertados o quanto antes, evitando que se tornem problemas maiores.

Quais são as ferramentas ideais para testes automatizados?

Graça ao avanço da tecnologia, é possível contar com uma grande variedade de ferramentas voltadas, especificamente, para os testes automatizados. Quer garantir melhores resultados? Conheça as plataformas que são ótimas aliadas para esse processo.

Robotium

Esse framework é bastante utilizado no desenvolvimento de aplicativos de Android, sendo compatível com plataformas que são nativas ou híbridas. Por meio do Robotium, pode-se escrever a automação de testes sobre a estrutura interna e externa da aplicação.

A solução ajuda a simular procedimentos que, normalmente, serão testados manualmente pelo profissional responsável pela análise de teste, além de viabilizar a inclusão de cadastros, alteração e deleção e pesquisa de registros.

Appium

Trata-se de uma ferramenta open source para a automação de testes, que compreende aplicações nativas, híbridas e multiplataforma, e dá suporte para aparelhos reais e simuladores mobile. Essa ferramenta permite testes no sistema Android e iOS, independentemente da linguagem de programação selecionada, pois aceita scripts em Node.js, Java, Ruby, entre outras.

Selenium

Criada nos anos 2000, o Selenium é a ferramenta mais popular quando o assunto são testes automatizados para códigos abertos para aplicativos da internet. Ele pode ser usado como base para outras aplicações de automatização, como Robot Framework e Watir, e suporta diferentes ambientes operacionais, como Linux, Mac e Windows.

Testar as funcionalidades de um software costuma ser um processo repetitivo e cansativo, porém é imprescindível para fazer entregas de alta qualidade. Nesse sentido, os testes automatizados se tornam indispensáveis para otimizar esta etapa e trazer efetividade para a funcionalidades do sistema em construção e, consequentemente, mais praticidade e segurança para o usuário final.

Manter a sua empresa atualizada quanto às tecnologias atuais é fundamental para se manter à frente da concorrência. Saiba como a consultoria em tecnologia beneficia o seu negócio!

Compartilhe !

Posts relacionados

Deixe um comentário